quinta-feira, 19 de abril de 2007

EU TE AMO

Eu já estava até mesmo conformada em não ter encontrado, na - nem tão longa assim -estrada da minha vida, um companheiro de viagem que me fosse confiável. Já não buscava por pares perfeitos, almas gêmeas e coisas do gênero, que eu então já considerava fantasia de escritor de romance açucarado. Até que um dia... É sempre um dia. Ele surgiu. E surgiu como nos romances e histórias de criança. Surgiu como nos filmes da sessão da tarde.E ele era tão doce, tão perfeito. Salvou-me do banalismo concreto e pesado da minha vida para levar-me para a profundidade abstrata e leve do amor. Se amar é mesmo brega, cafona, eu quero ser a mais brega e a mais cafona das mulheres do mundo. Amor é palavra que dá vergonha de falar, pois se tornou incomum. De tão incomum e rara, foi substituída por gostar. E gosta-se muito, mas ama-se pouco. Posso dizer com segurança que gosto dele, de ti e de todos. Mas dizer que eu amo, é compromisso demais, dá um medo e uma vergonha sem tamanho. Faz-me parecer ridícula, expõe-me ao sofrimento de ser rejeitada, ao de amar e ser simplesmente gostada.E ensinou-me muitas e muitas coisas que eu havia esquecido que poderia realmente existir. Fez-me viver os romances que li, os filmes que vi, as músicas que ouvi. Fez-me andar a passos cadenciados, fez-me ver como é bom ter outro pé pisando a areia molhada ao lado do meu, como é um sentimento protetor ver o cuidado estampado no rosto dele, como é bonito vê-lo comer e que prazer dá em ouvi-lo falar, por mais corriqueira que seja a conversa. E senti que é bom demais ter aqueles olhos verdes, cor de mar ao sol, pousados sobre mim. Percebi que sua mão combina perfeitamente com a minha pele e que os meus muros de proteção desabaram com o leve toque da sua respiração.E ele me ensinou muito bem. Ensinou-me o quanto é bom estar com ele. Só não pode ensinar-me a estar sem ele. Não me mostrou como fazer para não sofrer na despedida. O que fazer para não chorar de saudade. Como agora pisar o pé na areia molhada, sozinha? Como agora ouvir as músicas sem que ele esteja junto? Como suportar assistir aos filmes em que ele deveria estar assistindo comigo e sentir que seu lugar está vazio? E ele me disse que quer que eu esteja sempre feliz. Só esqueceu de me dizer como. Eu te amo.